Vitória da Conquista

Vitória da Conquista – Capital do Sudoeste

Chamados por muitos como a Capital do Sudoeste, Vitória da Conquista é um município brasileiro localizado no sudoeste do estado da Bahia.

O município recebe este carinhoso nome, capital do sudoeste, porque é o centro regional e é o melhor estruturado em um grande raio de quilômetros em volta de uma área que abrange aproximadamente oitenta municípios na Bahia e dezesseis no norte de Minas Gerais.

Sua população em 2015, segundo o IBGE, é de aproximadamente 340.000 habitantes, o que a faz dela a terceira maior cidade do estado da Bahia, atrás de Salvador e Feira de Santana, e a quarta do interior do Nordeste brasileiro.

Conquista, como também é chamada por muitos, tem um dos PIBs que mais crescem na região.

A cidade possui uma altitude de 923 metros nas escadarias da Igreja Matriz, atingindo os 1.100 metros nas partes mais altas.  A área da cidade é de 3.204.257 km².

Vitória da Conquista esta passando, neste momento, por um processo pelo qual as capitais passaram há décadas atrás: o de recebimento de migrantes. Por ser um importante centro de serviços, como os de saúde, educacionais e negócios, vêm atraindo a população de cidades próximas.

Devido à localização em uma alta altitude em relação ao nível do mar e por não ter geadas, Vitória da Conquista junto com os municípios de Barra do Choça, Planalto e Poções, é um produtor de café a muitos anos. A partir de 1975, esta cultura agrícola foi incrementada com financiamentos com juros subsidiados pelos bancos oficiais, passando a região a ser a maior polo cafeeiro do norte e nordeste do Brasil.

A partir do final da década de 80, o município realçou sua característica de polo de serviços. A educação, a rede de saúde e o comércio se expandiram, tornando a cidade a terceira economia do interior baiano. Essa grande variedade de serviços atraiu muitas pessoas dos municípios vizinhos.

Com a criação do Centro Industrial dos Ymborés, ao mesmo tempo em que a lavoura cafeeira estava em expansão, um polo industrial passou a se formar em Vitória da Conquista. Nos anos 90, os setores de cerâmica, mármore, óleo vegetal, produtos de limpeza, calçados e estofados entram em plena expansão.

Um novo ciclo na agricultura regional foi iniciado em 2007 com o plantio de cana-de-açúcar, voltado para a produção de etanol, e com o plantio de eucalipto, destinado à produção de carvão para a indústria siderúrgica do norte de Minas Gerais, essências e madeira serrada que substituíra a madeira de lei nativa. Já foram plantados na região mais de vinte milhões de pés de eucalipto.

Em Vitória da Conquista, o setor de micro indústrias, instalado por todo o município, gera trabalho e renda. As indústrias produzem alimentos, cofres de segurança, velas, embalagens e movelaria, além de um pequeno setor de confecções.

O setor da construção civil foi o que mais cresceu nos últimos anos devido a grande demanda causada pelos novos moradores em Vitória da Conquista.